sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

O Vício

EXT. FRENTE CANTINA ESPM NOITE.

Câmera Lenta. Alguma música melancólica de Tom Waits na tri-lha. Mão de ABEL segura uma caixa de Mentos. A mão retira so-lenemente o plástico que cobre a caixa. O polegar abre a cai-xa. Uma mão vira a caixa sobre a outra em concha, um Mentos de morando salta da caixa para a mão. A mão leva o Mentos até a boca. A caixa é fechada e é levada até o bolso da camisa. Se-gundos depois a mão pega a caixa novamente.

ABEL
(OFF)
O bolso da camisa é o abrigo de muitos de nossos vícios. Para alguns é cigarro. No meu caso, Mentos.

Plano Geral. Um grupo de pessoas conversando. Abel comendo Mentos disfarçadamente, um atrás do outro. As vezes conversa com alguém. Não se escuta o que é dito. A medida que a narração evolui, a cara de Abel fica mais perturbada, até que ele sai de quadro na surdina.

ABEL
(OFF)
Será que eles sabem? Eu sei que sa-bem. Abutres! Devem estar pensando em algum tipo de plano pra roubar a minha caixa de Mentos. Eles se comu-nicam por telepatia. Riem da minha cara por trás de comentários inofen-sivos sobre futebol. Eles sabem que não podem pedir. Só conseguem um Mentos de mim a força. Eu nunca vou me render. Nunca.

INT. SALA DE AULA. NOITE.

Tudo vazio. Abel entra, fecha a porta. Se esconde embaixo de uma mesa. Despeja muitos Mentos na mão e engole tudo de uma vez. Entra em um transe, desmaia em um êxtase.

ANIMAÇÃO. DELÍRIO DE ABEL.

Milhares de Mentos ganham a tela e formam um cenário psicodé-lico, com luzes piscando na cor de cada sabor de Mentos. Os Mentos formam uma cara sorridente.

INT. SALA DE CINEMA NOITE.

Abel dormindo com uma cara feliz. Segura uma caixa de Mentos na mão. A NAMORADA tenta pegar a caixa e acorda Abel.

ABEL
Que foi?

NAMORADA
Me dá uma bala.

ABEL
Não.

NAMORADA
Por favor!

ABEL
Não! Comprasse pra você.

NAMORADA
Você não pode estar falando sério!

ABEL
Baby, você pode me pedir qualquer coisa. Menos isso.

NAMORADA
Me dá essa porra dessa bala ou a gente termina.

INT. APARTAMENTO ABEL DIA

Abel chorando muito. O plano abre e mostra que ele assiste uns vídeos de Mentos explodindo Coca-Cola no youtube.

INT. SALA DE REUNIÃO DIA

Um ambiente limpo, uma mesa grande de vidro. O ENTREVISTADOR olha o portfólio de Abel sem reação. Abel está nervoso. Faz um gesto na direção do bolso da calça. Uma visão interna do bolso mostra uma caixa de Mentos. O Entrevistador termina a sua ava-liação.

ENTREVISTADOR
Gostei do seu trabalho. O que você acha de trabalhar com a gente.

ABEL
Puxa. Seria excelente.

ENTREVISTADOR
O que você acha de 2000?

ABEL
Tá. Mas eu quero em Mentos.

ENTREVISTADOR
Hein?

ABEL
Você quer que eu faça anúncio de va-rejo. Vai ter que comprar Mentos no atacado.
Abel pega um Mentos na caixa e engole triunfante.


FIM.

4 comentários:

.cacau disse...

Hahahahahha! Adorei Abel, ri muito... achei o máximo a cena dos mentos explodindo!!! Hahahahhaha
Sensacional... Bjão, Clau

Fernando Tadeu e Canonico disse...

um talento anormal!

Perereca Maria disse...

tinha q ser meu primo
bjs

Rafael disse...

Cara, você é dementos...